29 de julho de 2016
Compartilhar:

Etapa 1 da organização: Descarte

Categoria: #organize

Já deu para entender onde iremos com o tema de hoje, né? Pois é. A primeira etapa da organização, trata-se de nos desvencilharmos de objetos e roupas que não usamos mais por diversos motivos.

Você por acaso deu uma engordadinha e guarda aquela roupa com a intenção de “Ah! Vou entrar naquele jeans novamente? ”. E aquela blusa que você herdou da sua irmã ou irmão que você nunca usou, mas guardou por consideração para não magoar? Você tem um objeto de estimação que você leva consigo desde a infância? Ainda guarda os cadernos e trabalhos de escola dos filhos? Você tem uma toalha manchada, que sem querer encostou na água sanitária? E aqueles potes na cozinha que você não faz ideia de onde foi parar a tampa? Pois bem, está na hora de se libertar de tudo isso!

Eu tenho o hábito de dizer que quem se apega demais ao passado, vive pouco o presente e consequentemente não terá um futuro. Não estou querendo ser radical, mas ficar amarrado em coisas do passado, não te permite viver o dia de hoje se você só aprecia o que vivenciou. Por isso falo que o descarte é um momento de reflexão dos meus clientes, é como se fosse um ritual de passagem para uma nova vida que você terá.

Então vamos começar a agir? Escolha um cômodo da sua casa para este primeiro passo. Assim que definido, eu quero que você foque nele por alguns instantes e faça o descarte de uma só vez. Sem interrupções, e nada de começar, parar e dizer que voltará mais tarde para a tarefa. Isso, por experiência própria, não funciona.

Como deverá ser feito: Se você elegeu seu quarto, quero que reúna todas as suas roupas em cima da cama, todas mesmo, inclusive as que estão para lavar, as que estão no varal e as que estão para passar. Tudo o que for roupa sua, tem de estar reunido no quarto. Depois de juntar tudo, quero que você categorize suas peças da seguinte forma: junte todas as calças jeans, todas as calças sociais, depois todas as blusas de frio, as de calor, roupas intimas e por aí vai. Quando tiver com as pilhas de roupas separadas e categorizadas, você vai eleger uma para selecionar o que permanece na sua casa e o que deverá ir embora.

Não tenha medo, você vai conseguir! As calças, experimente-as, veja se você se sente bem e confortável com elas. Por acaso ela fez você se sentir mais bonita (o)? Se sim, guarde-a. Senão, separe para descarte. A mesma coisa você fará com as blusas, roupas íntimas e etc. Experimente, veja se as roupas fazem você se sentir bem com elas, se você ainda gosta da cor, se usa com frequência. Se a roupa trouxer algo de bom para você, mantenha consigo. Se você tem dúvida, descarte-a.

Outro modo de fazer isso também, é avaliar o estado das coisas. As roupas estão manchadas? Livre-se delas. Estão sem botão? Precisam de costura? Se você gosta delas, leve-as a uma costureira para conserto, do contrário descarte também.

Toda essa avaliação é você quem deverá decidir, sozinho, no seu íntimo. Isso vale para todos os cômodos da casa.

Já produtos vencidos deverão ir para o lixo sem pensar.

Mas por favor, se atente ao tipo de produto e aos locais corretos para jogar fora. Por exemplo: medicamentos, pilhas, baterias, desodorantes aerossol, plásticos, papéis e por aí vai. Todos esses produtos precisam de descartes ecologicamente corretos – você pode se informar na região onde mora ou na internet, sobre pontos de coleta seletiva para esse tipo de descarte. Esses produtos, se jogados incorretamente em sacos comuns, causam diversos danos para o meio ambiente. Por isso faça o descarte consciente e contribua para a qualidade do nosso planeta.

Na hora do desapego, separe caixas e sacos com as seguintes etiquetas: manter, lixo e doação. Dessa forma, você guarda o que tem de ficar, joga fora o que de fato precisa ser jogado, e doa o que pode ser doado.

Talvez um objeto que para você não tenha mais significado, pode transformar a vida de outras pessoas que necessitam daquilo. Pense em quantos moradores de rua estão precisando de um par de chinelos, uma blusa de frio, uma meia para se aquecerem nesse inverno. Além de um lindo gesto, é também um ato de cidadania, que tenho certeza de que esquentará quem recebeu a doação e também seu coração.

As doações poderão ser feitas diretamente ou em igrejas do bairro, vizinhos, amigos e instituições sem fins lucrativos que vivem de doações de pessoas caridosas como você.

Lembre-se de que, só vale a pena guardar o que realmente será usado ou que tenha de fato um valor emocional.

Evite sempre quando for descartar, a intromissão de parentes. A presença de outras pessoas da casa pode ser um choque para eles, que poderão ver a mudança com um aspecto negativo. Eu mesma já tive um cliente que a mãe ao ver a quantidade de sacos que iriam para doação, se espantou e quis resgatar um monte de itens da sacola, sendo que o próprio cliente já tinha se desapegado.
Como disse antes, esse momento tem de ser íntimo, deve ser trabalhado como um exercício de revisão interior. Eu tenho certeza que você consegue, e mais do que isso, que vai se sentir bem melhor depois.

Ah, e se você deu aquela engordadinha e está guardando o jeans para voltar a usar, esqueça isso! É bem mais gostoso comprar uma roupa nova para a fase atual, do que ficar lutando para entrar em roupa velha.

Agora mãos à obra! Vamos juntos organizar sua casa e consequentemente, sua vida! Você só vai se beneficiar desses ganhos, acredite.

Semana que vem falaremos sobre categorização, a segunda etapa da organização, não perca!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Últimos Artigos

Tenha já o controle da sua casa!

3 de setembro de 2019

7 dicas para organizar Lavanderia

30 de abril de 2019

Existe certo x errado na organização?

25 de março de 2019

Arrume sua gaveta de calcinhas!

3 de janeiro de 2019